18 de janeiro de 2010

Aversão

Certo dia, eu estava de passeio pelo centro e passei num sebo. Percorria os livros velhos com o olhar meio desinteressado, preguiçosamente. De súbito, desinteressaram-me os decrépitos volumes empilhados por toda parte: um homem conversava com o vendedor de livros sobre algo que me deixou curioso: versões bíblicas.

O tal homem, que parecia mais um louco, um fanático, tinha uma aparência peculiar, um sotaque de outro estado e uma mala com um conteúdo que destoava de sua imagem: a Bíblia Almeida Corrigida e Fiel, da Sociedade Bíblica Trinitariana do Brasil, em vários formatos, tamanhos e cores.


Do que tagarelava (porque o pobre livreiro não parecia interessado no sermão e tampouco parecia entender bulhufas), algo me deixou realmente estarrecido: o palestrante afirmou em alta voz, gesticulando furiosamente em direção à estante de Bíblias velhas: "Todas essas Bíblias aí são do demônio! Estão erradas, distorcidas, mutiladas! São todas do diabo! Todas elas são cheias de heresias e não merecem confiança alguma! ...Mas esta aqui é a única verdadeira..."

Pensei com aflição, assombrado: "Meu Deus do céu! O que esse homem pensa fazer? Será que não percebe que está minando as fundações para a fé de uma pessoa que ele nem sequer sabe se é crente ou se pode vir a tornar-se? E a troco de quê? O que esse homem pensará doravante ao ver uma Bíblia se der ouvidos ao que esse lunático está falando?"

Depois do "show", ele foi embora, deixando o rapaz assustado. Mas eu só saí de lá depois de conversar e tentar desfazer o grande equívoco que o "vendedor de Bíblias" apresentou irresponsavelmente ao rapaz do sebo.

Estava óbvio que o ambulante não vinha em nome da Sociedade Bíblica, que é uma entidade séria, e ele nem tentou se apresentar como tal. Mas eu imagino o dano que tal pessoa, se ainda estiver "em serviço" por aí, possa estar causando à imagem da editora, da igreja de Cristo, da Bíblia e do próprio cristianismo aonde chega: danos talvez irreparáveis!

Felizmente, o balconista, tendo visto o desequilíbrio de tal sujeito, não levou a sério o conteúdo de suas palavras. E eu pedi desculpas até por eu existir, tamanha não foi a vergonha alheia que senti de presenciar tal atitude por parte de uma pessoa que se diz "crente" diante de desconhecidos. Que desserviço para o reino de Deus! Que papelão!

Tentando infamar algumas versões bíblicas e vender o conteúdo de sua valise para ganhar uns trocados, o louco perdeu uma bela oportunidade de falar de algo bem mais urgente: do evangelho. Pois se todos precisamos do evangelho e Cristo nos mandou pregá-lo, nunca vamos fazê-lo para a pessoa errada.

Ele jogou ao léu um momento precioso de contar a alguém do Cristo, que sofreu e morreu por amor àquele livreiro, pelos pecados dele, para que ele pudesse encontrar o perdão, o amor e a paz com Deus na pessoa de Jesus Cristo.

Fiquei ainda mais triste quando relatei esse incidente a um irmão que morou nos Estados Unidos. Ele mencionou que, por causa da polêmicas sobre versões, igrejas chegaram a cortar o sustento de missionários que estavam pregando o evangelho de Jesus Cristo em outros países, unicamente pelo fato de que eles estavam usando uma versão diferente!

Não quero aqui entrar na polêmica de versões e traduções, apesar de eu ter uma opinião a respeito desse assunto, porque não é o objetivo do post. Escrevo estas linhas com um questionamento:

Quantas almas ainda teremos que perder e arriscar perder irresponsavelmente para que façamos prevalecer nossa predileção por uma tradução, ou por outra opinião sobre um assunto qualquer, ao invés de pregarmos o evangelho para quem precisa ouvir do Salvador?

A palavra de Deus é inspirada por ele e jamais passará. É ela que nos apresenta a vontade de Deus, que exige que deixemos nossos pecados e creiamos apenas em Jesus Cristo para sermos salvos. É por meio dela que sabemos, com certeza, que não há salvação em nenhum outro (João 1.12; 3.16; 5.24; 14.6; Atos 4.12 ...) e que não podemos ser salvos por nossas obras de bondade (Efésios 2.8-10), que devemos entregar nossas vidas ao fiel Senhor, que tem poder para nos guardar de todo o mal.

A palavra de Deus jamais se perderá ou deixará de cumprir seu propósito. Deveríamos crer mais nisso e anunciar a salvação para que o mundo inteiro também possa crer.

4 comentários:

Lorena N. disse...

O lema:

Vamos vender nosso produto,o próximo que se dane.

ps: porém todos somos o "próximo".

;)

Bankinvest disse...

É, infelizmente essas coisas podem acontecer com qualquer um, se deixarmos nos levar pelas emoções. Eu não vendo Bíblias, mas uso somente ACF. Hoje estou mais flexível com respeito a esse assunto, mas eu não posso crer em duas "Palavras de Deus". Não não sou fanático, mas é difícil acreditar em algumas palavras as vezes até frouxas para a Bíblia. Gostei do seu blog. Espero que Deus um dia me conceda ter meu blog, mas ainda não me sinto preparado para isso.

A paz de Cristo.

Alexandre.

André R Fonseca disse...

Parabéns pelo texto, você escreve bem! Coisa rara na blogosfera "gospel". E a reflexão a partir da experiência é de grande valia!

Acredito que juntos, como trabalho de formiguinha, podemos ir aos poucos dissipando as trevas sobre o assunto de nosso meio e ter um corpo (igreja) mais produtivo e lúcido.

Avelar Jr. disse...

Obrigado, irmão! Acredito que se mais crentes compartilhassem suas experiências e reflexões no mundo de hoje, o cristianismo pudesse ser melhor compreendido pelos de fora e menos estigmatizado pelas péssimas imitações dele que vemos em outras mídias.

Continue com seu ótimo trabalho. Até já tinha postado seu blog na minha lista de links ao lado - de tanto que eu gostei dele.

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...